Dom José Gaspar de Affonseca e Silva, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, a 13 de novembro de 1939, criou a Paróquia Nossa Senhora do Carmo da Aclimação. A nova sede da Paróquia foi construída “em um terreno doado pelo Sr. Gustavo Olynto de Aquino e Dona Elyria Matos do Amaral, viúva do Dr. Mário do Amaral. Teria a especial finalidade de abrigar a imagem de Nossa Senhora do Carmo, oferecida a São Paulo pela cidade de Recife, por ocasião do IIIº Congresso Eucarístico Nacional, realizado em 1939” (Ata do lançamento da Pedra Fundamental). A 31 de dezembro desse mesmo ano, Monsenhor Ernesto de Paula, Vigário Geral da Arquidiocese de São Paulo, declarou instalada a Paróquia e tendo como patrona Nossa Senhora do Carmo e o seu primeiro Vigário o Padre Cícero Revoredo.

A 14 de julho de 1940 foi lançada a pedra fundamental do novo templo e a 31 de maio de 1942 foi instalada uma capela provisória, nos porões da construção, para acolher a pequenina imagem. Até então, a Comunidade se reunia em torno da imagem na Capela da Santa Cruz dos Inocentes, à Rua Albina Barbosa. Aí começou a verdadeira história da Comunidade Paroquial, pois muitos grupos se reuniram para organizar a pastoral . O templo foi inaugurado a 29 de outubro de 1960, sob a orientação e zelo de Monsenhor Manoel Salvador de Carvalho Neves que em 1994 celebrou o jubileu de ouro do seu paroquiato na Aclimação. Na celebração dos 70 anos da fundação da Paróquia, o templo abriga uma nova imagem de Nossa Senhora. Se a primeira veio de Recife, a atual vem de Roma com as bênçãos do Santo Padre. Ambas queridas por populações de diferentes épocas, pois se trata da mesma Mãe de Deus e nossa.

Muito se deve a vários sacerdotes que viveram na Paróquia marcando a Comunidade com o seu zelo e disponibilidade. Igualmente devemos agradecer a todos os leigos e leigas, pais e mães de família, jovens e tantos outros que formaram e base de nossa Comunidade que continuamos com a graça de Deus

Que o Senhor Jesus, por intercessão de Nossa Senhora do Carmo, recompense todos aqueles que têm o seu nome ligado à Paróquia: os que partiram para o Pai e os que continuam hoje atuantes.